Procurar
Close this search box.

eSudoe
2021-2027

Tipo resultado: estratégia/plano de ação

Definição de políticas públicas que facilitem a replicação da experiência noutras áreas SUDOE

Com o objetivo de promover a replicação da experiência noutras zonas rurais de Espanha, França e Portugal, será publicado um guia para a promoção de políticas públicas por parte das autoridades locais e regionais competentes, tentando promover uma parceria público-privada para que estes ecossistemas de cuidados clínicos e de neuro-reabilitação presencial e à distância se desenvolvam de forma sustentável noutras zonas rurais do território SUDOE. Na Atividade A3.5, este Guia será amplamente divulgado no território SUDOE dos três países participantes (Espanha, Portugal e França).

Leer más »

Estratégia transnacional comum para os CaS como base para o desenvolvimento do Plano de Ação Local

Definição conjunta de uma estratégia transnacional do CaS a aplicar na área do Sudoe para conservar os valores essenciais das estradas, promover os recursos naturais e culturais tangíveis e imateriais, a produção artesanal e aumentar a durabilidade do destino autêntico e integral que garante o desenvolvimento inclusivo, digital e sustentável dos Caminhos de Santiago como destino turístico interior do espaço Sudoe. A estratégia será levada a cabo através de um processo colaborativo entre parceiros e intervenientes territoriais para a análise das necessidades, riscos e oportunidades associados ao CaS, com o objetivo de definir linhas de ação comuns para o desenvolvimento socioeconómico do território, que serão testadas no projeto-piloto. Esta estratégia comum será permanentemente monitorizada após o lançamento das 5 zonas-piloto e servirá de base para a definição de um plano de ação local que integrará todas as informações finais dos diferentes territórios.

Leer más »

Definição de um Plano de Ação para a gestão de CaS no espaço Sudoe

O Plano de Ação basear-se-á na estratégia transnacional geral do CAS definida na ação A1.3 e servirá de modelo para que qualquer território Sudoe possa gerir eficazmente os Caminhos de Santiago sob a sua competência. Será definido o plano, especificando as linhas estratégicas com ações concretas e resultados esperados, seu cronograma, os responsáveis e serão estabelecidas as métricas e métodos de avaliação dos progressos, estabelecendo os indicadores a serem seguidos, metas e método de medição. Tudo será resumido no scorecard do Plano de Ação. Os domínios selecionados para o projeto-piloto previsto nas ações A3.2 e A3.3 são variados, com elementos comuns e realidades diferentes que proporcionarão dados de valor acrescido quando partilhados. Os resultados deste projeto-piloto serão utilizados para a melhoria e correção do Plano de Ação: dados reais dos métodos de seleção e recolha de informação sobre o abastecimento local e os principais intervenientes, desenvolvimento de polos locais, sistemas de monitorização e medição dos fluxos de peregrinos e o funcionamento das paragens no caminho. Serão integrados no Plano de Ação Comum para o espaço Sudoe, refletindo as diferentes realidades dos territórios.

Leer más »

Estratégia de desenvolvimento do agroturismo

A estratégia para o desenvolvimento do agroturismo no espaço Sudoe inclui as conclusões estratégicas das diferentes experiências piloto previstas no AgroTour, assim como a integração e sistematização dos conteúdos produzidos pelo sistema de conhecimento, iniciado anteriormente. Como descrito na atividade 3.2., o seu desenvolvimento seguirá uma abordagem participativa através do envolvimento das entidades públicas e privadas que colaboraram com o projeto desde o início e que estão integradas nos diferentes Fóruns Consultivos. Este envolvimento será conseguido através da recolha de testemunhos escritos e orais, bem como da realização de diferentes grupos temáticos. Assegurará igualmente a coerência com as estratégias atualmente em vigor nos territórios que participam no AgroTour. A estratégia desenvolverá a sua proposta de intervenção transnacional de acordo com os seguintes princípios -Desenvolvimento social, económico e ambientalmente sustentável do sector do agroturismo. -Exploração do potencial do sector como motor do desenvolvimento social e económico das zonas rurais do Sul de França, bem como da luta contra o despovoamento, o envelhecimento e a ausência de mudança geracional no sector agrícola. -Reforçar as interações entre o meio urbano e o meio rural e contribuir para o reequilíbrio dos dois contextos. -Valorizar o património agroalimentar e vitivinícola do Sudoe e associá-lo ao capital ambiental e cultural. -Melhorar a rentabilidade das explorações agrícolas através da diversificação dos rendimentos e da oferta de serviços de valor acrescentado. -Incorporação de ferramentas digitais para melhorar a competitividade e redesenhar os produtos agro-turísticos. -Implementação de estruturas dinâmicas de colaboração público-privada.

Leer más »

Diretriz de design ecológico para facilitar a refabricação

Diretriz de ecodesign, descrevendo propostas e protocolos para o projeto e fabricação de bens, melhorando sua futura remanufaturabilidade. Este conjunto de diretrizes constituirá uma estratégia que as empresas poderão adotar, para melhorar a circularidade da sua produção, criando produtos mais sustentáveis. Também conterá um plano de ação, com etapas específicas sobre como adotar as propostas desta estratégia.

Leer más »

Plano de ação para a criação de parcerias público-privadas sustentáveis

O plano de ação para a construção de parcerias público-privadas sustentáveis incluirá a operacionalização do conteúdo da estratégia para o desenvolvimento do agroturismo no espaço Sudoe. Em particular, será definida coletivamente uma série de modelos de parcerias público-privadas, incluindo a dimensão transnacional, que dará continuidade aos modelos testados à escala piloto durante o GT2. Isto basear-se-á numa identificação dos modelos e das fontes de apoio que servirão para identificar os recursos (metodológicos, financeiros, materiais ou de colaboração) que podem potencialmente ser utilizados para dar continuidade às ações testadas à escala piloto. Nesta base, cada parceiro trabalhará então com os principais atores públicos e privados do sector no seu território para integrar os resultados do projeto nos programas ou estruturas existentes ou, eventualmente, na criação de novos modelos. Nos domínios temáticos em que tal seja eficaz, será aberta a possibilidade de criar parcerias público-privadas transnacionais. O plano de ação resultante destas ações conterá diferentes modelos de assimilação de resultados através da colaboração público-privada, que servirão de exemplo ou referência para outros territórios interessados em replicar as ações do projeto AgroTour.

Leer más »

ESTRATÉGIA COMUM para a substituição de componentes com um impacto ambiental negativo

ESTRATÉGIA COMUM para a substituição de componentes com impacto ambiental negativo por outros que impulsionem um crescimento inteligente e sustentável Adoção L1 da estratégia (CDI e TITANIA) que incorpora processos eco-sustentáveis para tratamentos homogéneos de superfície na Nova Aquitânia e Andaluzia Adoção L2 da estratégia (CDI e TITANIA) que incorpora processos eco-sustentáveis para tratamentos homogéneos de superfície na Nova Aquitânia e Andaluzia Adoção L2 da estratégia (CDI e TITANIA) que incorpora processos eco-sustentáveis para tratamentos homogéneos de superfície na Nova Aquitânia e Andaluzia estratégia (UA, UPPA, INEOSURF, CIDETEC e AIAS) incorporando conteúdos homogéneos no Centro de Portugal, Aquitânia, Occitânia e Espanha.

Leer más »

Estratégia de valorização do património das paisagens culturais do maciço do Sudoe.

Estratégia desenvolvida conjuntamente pelo consórcio CULTURMONTS para a valorização do património material e imaterial ligado às paisagens culturais de montanha e à promoção de espaços formais de transferência de conhecimento intersectorial. A estratégia reúne e estrutura as propostas metodológicas derivadas dos diferentes pilotos e articula uma proposta de síntese e implementação (plano de ação) na qual se explica a necessária interligação entre os GTs para conseguir uma valorização integral do património e a sua utilização como base para processos de inovação social e desenvolvimento territorial. A estratégia fornecerá exemplos práticos de aplicação e desenvolvimento para orientar as autoridades públicas e as organizações que a queiram adaptar nos seus territórios.

Leer más »

Formação em “Redes de sensores sem fio para gestão de riscos ambientais”

Este Plano de Ação visa transmitir os conhecimentos, tecnologias, desenvolvimentos e resultados do Projeto aos atuais e futuros profissionais do Sudoe. Será promovido um curso de pós-graduação transnacional e interuniversitário (doravante Curso) com o objetivo de formar profissionais com perfil altamente multidisciplinar em diversas tecnologias essenciais de WSN como Ciência e Tecnologia de Sensores, Dispositivos e Sistemas Inteligentes, Tecnologias Sem Fio, Tecnologias de Microgeração de Energia , Ciência e Tecnologia de Dados, Tecnologias na Nuvem, Inteligência Artificial e outros. O Curso irá mostrar como integrar estas tecnologias nas WSN e como adaptar as WSN aos contextos locais para que a sua implementação, operação e manutenção sejam economicamente viáveis e sustentáveis ao longo do tempo. Serão também mostrados exemplos de aplicações de WSN na gestão de riscos ambientais em áreas rurais. O formato do Curso será um CURSO ONLINE MASSIVO e ABERTO (MOOC), no qual o consórcio possui experiência anterior; por exemplo, o MOOC sobre “Sensores de baixo custo para monitoramento da qualidade do ar” do projeto NanoSen-AQM (Interreg V-B Sudoe). Serão realizadas duas edições do MOOC nos anos 2 e 3 do Projeto e a versão final será entregue no mês 34. A Universidade de Coimbra (FCTUC/DEI) será líder do Plano de Ação do qual irão participar as universidades beneficiárias (B6, B8 e B9) e universidades associadas (A4) do Projeto. Os centros de I+D (B1, B2, B3, B11 e B12) irão colaborar no desenvolvimento do Plano de Ação e irão lecionar no Curso. O CSIC e o CNRS têm uma ampla presença territorial em ES e FR, partilham centros e unidades conjuntas associadas a universidades nacionais e mantêm colaborações com universidades de outros países. Isto permitir-nos-á alargar o número de universidades participantes e alargar o âmbito do Curso a outras regiões do Sudoe, bem como a outros países da UE.

Leer más »

Estratégia para o desenvolvimento socioeconómico inovador e sustentável das zonas rurais do SUDOE

Estratégia comum para o desenvolvimento socioeconómico inovador e sustentável das zonas rurais na zona SUDOE, com base no seu património cultural e natural: Conceção conjunta da estratégia — modelo de desenvolvimento socioeconómico rural baseado no património cultural e natural do espaço SUDOE. O objetivo é gerar atratividade territorial, contribuindo para fixar população e atrair o turismo sustentável (interessada em aspetos ecológicos, culturais, artísticos e sociais) graças à preservação, reutilização e valorização do património. A estratégia incluirá os diferentes elementos necessários para alcançar o desenvolvimento socioeconómico dos territórios rurais com base no seu património (formação de agentes locais, utilização readaptiva do património, criação de atividades artístico-culturais, parcerias público-privadas, bem como construção de redes). O PP4 elaborará a estratégia com contributos de todos os parceiros e tendo em conta os resultados das atividades do GT2. No GT 3, consideramos testar diferentes elementos da Estratégia. Para o efeito, haverá uma quota-parte comum de todos os parceiros, incluindo o desenvolvimento de um sistema de governação participativa (A3.1); conceção de um plano de ação que traduza a estratégia em medidas concretas (A3.2) e formação dos intervenientes locais (A3.3). Juntamente com esta parte comum, será desenvolvido um projeto-piloto temático por país que testará um ou mais elementos da estratégia, em função das necessidades de cada território. A estratégia será adotada por todos os parceiros do projeto (exceto o PP4) no primeiro trimestre de 2026.

Leer más »